Pesquisar no blog

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

SEO: O que é, qual sua importância e como começar a aplicar

No post de hoje vou começar a falar um pouco de SEO (Search Engine Optmization) e por que ele é tão importante.

Hoje em dia se olharmos os sites mais acessados no mundo teremos os buscadores sempre ocupando as primeiras posições (como por exemplo o exibido em https://www.alexa.com/topsites) , mas o que isso significa?
Significa que ter seu site seja lá qual tipo de site for, exibido nesses buscadores é primordial para o sucesso do mesmo, e não é só ser exibido, estar posicionado entre os primeiros sites da lista é tão importante quanto, afinal dificilmente as pessoas vão procurar na décima quinta página de pesquisa o assunto desejado não é? As pesquisas indicam de o ideal é estar pelo menos entre as quatro primeiras páginas (se baseando que o google por exemplo, exibe 10 sites por página).

Agora vamos começar a entender como os buscadores (com foco principal no google) fazem para selecionar quais sites devem aparecer e quais devem aparecer antes que outros.

São muitos os fatores que fazem a diferença, entre eles:
1 - Ter um bom conteúdo no site (conteúdo autêntico, sites que apenas copiam conteúdos de outros sites terão dificuldades neste quesito).
2 - Escrita correta (escrever errado fará com que o site tenha pior conteúdo).
3 - Ser relevante para outros sites, ou seja, ser comentado em redes sociais, ter outros sites indicando e "linkando" o seu.
4 - Utilizar palavras chave, palavras conhecidas e relevantes.
5 - A localização de quem está pesquisando.
6 - Buscas anteriores que o usuário realizou.
7 - Ter um site com carregamento rápido e organizado como por exemplo ter os <title> bem definidos e concisos assim como os <h1> e <h2>. Também que ele seja compatível com smartphones e tablets.


Nos próximos posts indicarei algumas dicas e um pouco da história dos buscadores que certamente irão te ajudar a entender um pouco mais afundo como eles funcionam.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

NFe para entregas via correio obrigatória

A partir do dia 2 de janeiro de 2018,  encomendas sujeitas a tributação enviadas pelos Correios devem estar acompanhadas de nota fiscal. A medida  será aplicada em todos os casos em que o remetente da encomenda for contribuinte do ICMS, incluindo microempreendedores individuais (MEI).

Nota Fiscal ou Declaração de Conteúdo
A aplicação da exigência depende do perfil do remetente e do produto enviado. Se o remetente não for contribuinte do ICMS, ou se o produto não estiver sujeito a tributação, um documento chamado declaração de conteúdo  deverá ser afixado à encomenda, em substituição à NF-e.

O Documento Auxiliar da Nota Fiscal eletrônica  ou a declaração de conteúdo deverão estar afixados na parte externa da embalagem, de forma a serem acessíveis sem que a embalagem seja aberta.

Microempreendedores Individuais
Entre os mais impactados pela nova regra, estão os microempreendedores individuais. Mercadorias enviadas por MEIs através dos Correios também deverão conter a NF-e na parte externa da embalagem.

Encomendas enviadas sem a nota fiscal poderão ser apreendidas pela fiscalização tributária federal ou estadual.

Caso opte pela utilização da declaração de conteúdo, o remetente declara que “ o conteúdo da encomenda não constitui objeto de mercancia ”.

fonte: tsdn.tecnospeed.com.br

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Uso do Where em listas C#

Neste post irei demonstrar algumas formas de localizar valores em uma lista e alguns usos para os mesmos, tudo isso com o Where presente na System.Linq


No primeiro exemplo do método RetornaSeExisteProdutoCancelado, tem-se uma lista do produto, no caso a minha lista está vazia pelo fato de ser new list, mas imagine que está preenchida com vários produtos e desejo saber se me foi passado algum produto cancelado, utilizo o Where na lista para obter tal informação.

No segundo exemplo ProdutosComDescricaoGrande, mostro que é possível utilizar outros métodos dentro do where para obter resultados diferentes, neste caso seleciono apenas produtos cuja descrição ultrapassa os 40 caracteres.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

A EFD-Reinf inaugura um novo modelo no Sped

A Escrituração Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais (EFD-Reinf) inaugura um novo modelo de escrituração, já que, até o momento, trabalhávamos com a construção de livros em arquivos planos – textos delimitados por pipe. Quem já teve a oportunidade de editar um livro digital da Escrituração Contábil Digital (ECD), Escrituração Contábil Fiscal (ECF) ou de alguma das escriturações atuais deve ter em mente o que foi mencionado anteriormente. O modelo da nota fiscal é distinto, pois está atrelado às ocorrências de um documento tal como: emissão, cancelamento, registro de passagem, manifestação etc.

O novo modelo da EFD-Reinf, que diz respeito às retenções e informações, enviará “blocos” do livro que será construído no ambiente nacional do Sped – Sistema Público de Escrituração Digital. Com isso, o contribuinte enviará um lote de informações para o sistema, e o mesmo realizará o armazenamento, gerando a oportunidade de realizar a conciliação e o fechamento do movimento.
Este modelo será inaugurado em conjunto com o projeto do eSocial, com previsão de ingresso em janeiro do próximo ano para todas as empresas que tiverem um faturamento maior de R$ 78 milhões. Com isso, é possível afirmar que a intenção de tal mudança diz respeito à eliminação da Dirf (Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte) a médio prazo.
A possibilidade de detalhar as retenções previdenciárias com especificações sobre os serviços prestados, sobre as condições especiais de aposentadoria e outras informações também é de extrema importância. Algumas situações tornam-se desafios, já que a legislação tributária permanece a mesma, e as tecnologias que servem para a gestão de tais informações evoluíram gradualmente. No que diz respeito especificamente ao MEI (Microempreendedor Individual), pode-se afirmar que existirá um tratamento como pessoa física e outro como pessoa jurídica. É de grande importância acrescentar o tratamento previsto pela redação do artigo 18-B da Lei Complementar nº 128/2008 ao mesmo.

As cooperativas de trabalho voltarão a ser pauta de assunto dos tomadores de seus serviços por conta da forma de contratação e tributação previdenciária: serão considerados contribuintes individuais ou integrantes da força de trabalho de uma pessoa jurídica?Regimes distintos de competência – previdenciário – e caixa – contribuições -, além de outros desafios, que estão relacionados à qualificação e atualização cadastral a fim de preencher os seus 14 eventos, se tornarão presentes nas rodas de discussão das consultorias e das empresas de sistemas nos próximos dias.
A não observância restrita de requisitos legais, alvo da EFD-Reinf e do eSocial, pode ser considerada o pior entrave das organizações para a implantação. Um exemplo disso diz respeito à contratação de obras civis pelo regime de empreitada total e execução pelo regime de empreitada parcial, considerada uma das muitas “armadilhas” desta nova obrigação.
Neste novo panorama, até mesmo as equipes de marketing poderão ser afetadas. Tendo em vista que os repasses financeiros realizados para entidades, que em muitos casos mantem equipes profissionais de futebol, terão que declarar a retenção – de 5% atualmente -, o registro da doação será majorado em qualificação de informação.

Por fim, o sistema Sped avança a passos largos para o ambiente de integração total entre sistemas Fisco-Contribuintes. Aos sistemas de gestão tributária do Fisco Federal também serão atribuídas novas tarefas, tais como a geração da confissão de dívida automaticamente – Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTFWeb) -, que parece ser a pretendida “cereja do bolo” dos Fiscos.

fonte: spednews.com.br

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

CONFAZ adia para 2018 validação do campo destinado ao código de barras

Confaz adia para 2018 início de validação do campo destinado ao código de barras da NF-e e da NFC-e e determina novo cronograma.

O adiamento da validação do campo da Nota Fiscal Eletrônica – NF-e e da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica  – NFC-e destinado ao código de barras veio com a publicação do Ajuste SINIEF  nº 11 e nº 12 (DOU de 11/09).
O início de validação do campo código de barras da NF-e e da NFC-e previsto para 1º de setembro de 2017 será iniciado somente em janeiro de 2018 para o grupo de CNAE 324 e encerrará em dezembro de 2018.

O § 3º da Cláusula 7ª do Ajuste Sinief nº 19/2016, que instituiu a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica, modelo 65, e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica, determina:
Que os Sistemas de Autorização da NFC-e deverão validar as informações descritas nos campos cEAN e cEANTrib, junto ao Cadastro Centralizado de GTIN da organização legalmente responsável pelo licenciamento do respectivo código de barras, devendo ser rejeitadas as NFC-e em casos de não conformidades das informações contidas no Cadastro Centralizado de GTIN, observado o cronograma estabelecido na cláusula décima oitava.
O Ajuste Sinief 11/2017 alterou a redação cláusula décima oitava-A do Ajuste Sinief nº 19/2016, que trata do cronograma de início de validação do campo destinado ao código de barras da NFC-e.

Já § 4º da Cláusula sexta do Ajuste Sinief nº 07/2005, que instituiu a Nota Fiscal Eletrônica e o Documento Auxiliar da Nota FiscalEletrônica, determina:
Os Sistemas de Autorização da NF-e deverão validar as informações descritas nos campos cEAN e cEANTrib, junto ao Cadastro Centralizado de GTIN da organização legalmente responsável pelo licenciamento do respectivo código de barras, devendo ser rejeitadas as NF-e em casos de não conformidades das informações contidas no Cadastro Centralizado de GTIN.
O Ajuste Sinief nº 12/2017 alterou a redação cláusula décima nona-A do Ajuste Sinief nº 07/2005, que dispõe sobre o cronograma de início de validação do campo destinado ao código de barras da NF-e.

Confira na íntegra os Ajustes Sinief  11/2017 e 12/2017.


Por Josefina do Nascimento
Fonte: Siga o Fisco

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Método Sum

Hoje irei demonstrar o método Sum que é nativo do namespace System.Linq e serve para somar valores, geralmente utilizado com listas de qualquer tipo de valores (números). Neste exemplo fiz de duas maneiras, uma com uma lista de decimais e outra com uma lista de uma classe, que torna o método bastante interessante e útil.


Veja que no primeiro exemplo tenho uma lista de decimais e abaixo uma propriedade TotalValores onde no get realizo a soma de todos os decimais contidos na lista.

No segundo exemplo crio uma classe Exemplo com duas variáveis decimais. Depois crio uma lista de classes Exemplo contendo esses dois decimais, ou seja, para cada objeto Exemplo na minha lista terei dois decimais, valor1 e valor2.
Feito isso crio duas propriedades para retornar no get a soma de valor1 e valor2 separadamente.

domingo, 16 de abril de 2017

Proposta prevê juros menores para micro e pequenas empresas

A proposta, em tramitação na Câmara, estabelece ainda a criação da Empresa Simples de Crédito, que poderá fazer empréstimo localmente aos empreendedores

Aumentar a oferta e reduzir o custo do crédito para os pequenos negócios.  Esse será um dos principais objetivos do Projeto de Lei Complementar (PLP) 341/2017, que foi apresentado nesta quarta-feira, 12/04 pela Frente Parlamentar Mista das Micro e Pequenas Empresas.
O texto aguarda a liberação da presidência da Câmara dos Deputados para começar a ser discutido em Comissão Especial.
“Iniciamos o ano de 2017 com a apresentação de uma nova fase da lei. Essa alteração terá como foco principal a reforma do sistema financeiro, que se deslocou totalmente da realidade do nosso país”, afirmou Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae.

Proposta
A proposta estipula que os bancos deverão cobrar juros mais baixos do que os praticados pelo mercado quando emprestarem dinheiro para os pequenos negócios e que deverão simplificar e agilizar o trâmite para a concessão.
De acordo com Afif, existe no Brasil uma agiotagem legalizada e institucionalizada e as portas dos bancos estão trancadas para os pequenos.
O texto também prevê a criação das Empresas Simples de Crédito (ESC), que serão empresas que poderão emprestar dinheiro para os pequenos negócios de sua cidade.
“A ESC possibilitará às micro e pequenas empresas maior acesso ao financiamento e permitirá ao cidadão emprestar recursos próprios para pequenos negócios de sua comunidade, sem a participação do mercado financeiro tradicional”, diz Afif.
Segundo ele, com essa possibilidade, quem empresta pode conseguir rendimentos melhores e o empreendedor passa a ter acesso a juros mais baixos.
Além das melhorias para a oferta de crédito, o projeto de lei também propõe a correção automática do teto anual de faturamento das micro e pequenas empresas com base no IPCA e a criação de uma alíquota única de 3,95% de ICMS para as empresas do Simples Nacional.
Atualmente, na maioria dos estados, a alíquota cobrada é de 17%. Ainda está previsto no texto redução de 50% dos valores de depósitos recursais das micro e pequenas empresas perante a Justiça do Trabalho e a permissão para que as organizações de sociedade civil possam optar pelo Simples Nacional.

Fonte: Agência Sebrae